A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. A permanência ou o anúnci...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Sexta-feira, 26 de Dezembro de 2008

A permanência ou o anúncio do pai natal, do comboio e do palhaço que foram ao circo e nunca mais voltaram

Antes de mais...

 

um BOM dia pós NATAL para todos, na impossibilidade de vir cá mais cedo...

 

E obrigado pelos comentários natalícios ao último post, tão simpáticos!!!!

 

Estava eu hoje a pensar que a permanência é coisa reconfortante, deveras afirmativa de uma certa estabilidade necessária a muitos.

 

Olha a permanência em formato de massa para filhós amassada por mim para que a permanência não morra...

 

E as mãos a seguir... com tratamento afincado que eu não gosto de más aparências manuais...

 

 

Olha a mesa natalícia com a fatia dourada e arroz doce da mamãe... ah... permanência boa...

 

 

Olha a permanência de um gato a escavacar a árvore de Natal (é permanência porque já é o segundo ano!)...

 

 

 

Mas depois assolou-se-me à mente que, pelo contrário, a permanência nem sempre é uma coisa boa e, muitas vezes, até chega a ser dispensável; outras irrita porque a permanência, por vezes, anda de mão dada com o conservadorismo. A permanência é assim sobrevalorizada: simplesmente há coisas que são necessárias, há outras que não.

 

Afinal nem tudo o que existe é relevante e nos dá uma sensação de reconforto nostálgico.

 

Tomemos, por exemplo, aquele anúncio velhinho, passado num contexto natalício onde, ladeando uma árvore de natal ainda em versão pinheiro verdadeiro, uma criança de tranças e um avó colesterólico, se entretêm a enfiar figuras de chocolate nos ramos afiados: “agora o coelhinho, agora o pai natal, a seguir o sininho…” e por aí até que a criança fazendo apanágio da sua condição, embirra que não é assim perante a complacência do idoso, terminando com a frase “não, não, o coelhinho vai com o pai natal e o palhaço no comboio ao circo!” E a idílica cena termina com a marca chocolateira e um close up da janela. Ora bem, este anúncio andou, tal como hoje os do bombom elitista onde, numa suave tensão erótica, a super-esposa-de-homem-muito-bem-na-vida e o mordomo bem apessoado divagam sobre os apetites incontinentes da primeira. Passam  na televisão, ano após ano, até toda a gente se fartar. Já devia a criança, do primeiro anúncio, ter 20 anos e o velhote ter perecido e aquilo ainda ia para o ar. Eu aposto que em muitos lares deve ter havido lugar para um comentário televisivo do género “Raios partam este reclame que já chateia e me enerva, todos os anos é a mesma coisa!”. Agora que aquilo deixou de passar há para aí uns vinte anos, já ascendeu a clássico da publicidade e a património cultural português, de tal modo que se aquela loja do Chiado que comercializa memórias passadas em formato de artigos de consumo comum que já não se encontram em muitos sítios também comercializasse dvds de anúncios antigos, ele estaria certamente no top e muita gente pagaria as exorbitâncias do preçário aplicado para guardar e rever a preciosidade datada que antes enervava e agora deixa saudades.

 

 

E já agora, peço licença, mas termino aqui porque ouvi dizer que a rtp ia passar a "Música no Coração" e eu quero ver se ainda apanho a antepenúltima cena em que a família canta toda juntinha (e sob grande pressão) o Edelweiss [é antes do mocinho adolescente traidor e fascista denunciar as 10 alminhas e, ufa, acabarem por serem salvas em boa hora pela freira boazinha e assexuada (que isto entre a religião e a política nos anos 40 aparentemente era fácil perceber que ainda se podia confiar mais na 2ª)]. É que eu já passou quase um ano em que vi pela última vez (e em simultâneo pela trigésima primeira) e eu já estou com saudades...

 

Ele há permanências e permanências... Das más coloco o circo de Natal em primeiro:  atentar contra a dignidade animal em 2008 faz alguns dos meus genes primitivos regredirem à condição neandertalesa e eu não gosto.

 

 

 e pronto... lá se foi o fim do filme... só agora reparei que estive para lá de meia hora para conseguir colocar aqui estas míseras fotos!!! Grrr... alguém me explica a utilidade do sapo fotos?!

publicado por amulherdetrintaanos às 18:58
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.