A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Meu querido mês de Agosto

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Segunda-feira, 25 de Agosto de 2008

Meu querido mês de Agosto

 

 

Este podia ser um post sobre o filme-doc homónimo que estreou quinta, mas não é.

 

Podia também ser o início de uma missiva a alguém de seu nome Agosto, mas também não é.

 

Podia, ainda, ser uma tentativa minha de introduzir alguma musicalidade popular neste blog tão sério com um vídeo youtubiano desse mítico grupo que se chama Diapasão e que tem por vocalista aquele senhor enrugadito com o cabelo descolorado de tanto afogar o couro cabeludo em restaurador Olex, mas também não é.

 

Prosaicamente, eu gosto mesmo do mês de Agosto.

 

É um mês perfeito. Senão, vejam lá...

 

 

 

Agosto. Logo assim de rompante e à partida  é um nome giro. Destaca-se no calendário. Não tem um "bro" pelo meio nem sequer um "Ju" ao início, é ele próprio, único e sozinho entalado nos outros meses tão sem graça.

 

Agosto fica tu-lá-tu-cá quase a meio do calendário; é o culminar do verão e a única réstia de esperança de se apanhar um bronzeado decente, principalmente de há uns dois anos para cá quando o tempo que faz no litoral nortenho começou a descer até à Península de Setúbal. E enquanto Agosto dura há esperança. Quando chega Setembro, acabou. Vejam o meu caso que insisti no fim de semana passado em ir para a praia na expectativa de ficar com uma cor saudável. O facto de ter saído de lá tipo croquete, coberta de areia e a reluzir em padrão devido ao meu bronzeador de canela e outra especiaria com um extra em factor de protecção, não importa nada...

 

Em Agosto está quase toda a gente de férias e não se apanham filas de trânsito, há sempre lugar para estacionar e os meus vizinhos imigrantes do andar de baixo chegam cheios de vontade de conviver e fazem grandes barrelas e limpezas em casa. Por isso, para mim, Agosto é um mês limpinho. Põe-me a casa a cheirar a sonasol verde por obra das almas do andar de baixo.

 

 

 

Durante Agosto e como está quase toda a gente de férias e as instituições a meio gás, os jornais não nos fazem pensar muito e então é só notícias giras sobre gente-gira e fresca no único sítio do país onde faz sol e votações sobre pessoas mais sexys da televisão e da moda e de outras profissões liberais que têm a ver com acumulação de funções, do género da astróloga que é gerente e mais relações públicas e mais comentadora. Assim podemos acomodar-nos, pois a culpa não é nossa, ao declínio intelectual do país e passar as noites a visionar o programa do Herman com as pessoas a cantar o mainstream musical de várias décadas.

 

Em Agosto também recebo o IRS, o que só por si daria para justificar todo este post.

 

Vai-se a ver e lá bem no fundo as razões que me levam a gostar de Agosto estão é relacionadas com a minha memória familiar de infância: isso é que eram noites de Agosto. Uma pessoa sentadinha na sala com a mãe, a avó, o primo, o pai, os tios e o avô, mais a maninha e o cão e os canários (que à noite saíam da parede de fora da sala para virem para a parede de dentro) toda a gente a ver esse clássico agosteiro que eram os Jogos Sem Fronteiras!

 

Agora já não há, mas em compensação este Agosto teve Jogos Olímpicos e a medalha de ouro desta década (é para aí só de 10/15 em 10/15 anos, não é?) e ainda outra de prata. Descobri que o pai da medalhada Vanessa foi ciclista de renome (pronto, eu não sabia) e ainda me consegui inteirar de regras e penalizações de modalidades que só são referenciadas cá na nossa terra quando decorrem jogos olímpicos.

 

Só coisas boas, este mês portanto!

 
tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 19:49
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.