A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Quinta-feira, 3 de Abril de 2014

E a mulher de trinta anos segue imparável na diminuição da despesa

image001.png

Como o valor moeda não é elástico e os cortes, sobretaxas e congelamentos não páram, iniciei/fui obrigada a novas práticas para atenuar a despesa doméstica também há uns tempos: - Cartão da biblioteca. Não há coisa melhor nesta vida. A variedade é grande, a actualização de títulos é muito regular; têm grande diversidade de coisas para a infância; são espaços excelentes para criar rotinas e proximidade aos novos pequenos leitores. Eu gastava muito dinheiro em livros. Continuo a comprar, mas só em títulos que não encontro nas 3 bibliotecas do meu concelho (élá! Moras em Lisboa? Não!). - Termo e lancheira/ Almoço e lanche no trabalho. Poupa-se 6-7 euros por dia. Uma bênção. - Saídas nocturnas reduzidas. Esta foi mesmo uma coincidência, ocorrida pelo nascimento de pequeno rebento se ter dado em plena crise: ter bebé é sair menos. Poupa-se também. - Carro com 18 anos. Ainda anda. Há dias ficou sem alternador aproveitável. E não, não quero Audi nenhum. - Grande redução na compra de roupa com mais recurso aos saldos para mim vs grande compra de roupa para ela + alguns devaneios de coisas para ela = fica-se ela por ela. - Adquirir prendas giras nos saldos, nem que seja para aniversários que ainda demoram meses. Ajuda no mês da festa e sempre se pode comprar mais qualquer coisa gira para completar presente. Não parece grande coisa, mas poupa-se muito. Pessoalmente não preciso de app´s, dossiês, micas, organizers ou outros gadgets para poupar. Basta-me uma calculadora, um caderno e uma caneta. Não assento tudo aquilo onde gasto dinheiro. Acho que não mereço. O dinheiro também se fez para gastar. Sei que 5 euros por semana mal gastos são 60 euros num ano, mas acho que mereço essa dandince porque não sou, nem quero ser, uma máquina. Ouvi no outro dia que poupar regularmente se torna um hábito. É verdade. De há 5 anos para cá faço-o regularmente e resulta perfeitamente. Há meses impossíveis de fazer, é verdade, mas há outros em que a poupança, por mais pequena que seja, nos torna a vida mais descansada porque se ocorrer algum evento disruptivo na vida financeira da unidade doméstica se tem um fundo monetário de recurso sem se ter de estragar todo o orçamento mensal. Claro que isto resulta porque somos duas pessoas com remuneração mensal regular. O desemprego faria facilmente ruir este frágil equilíbrio, e, de certeza, exigiria a revisão das prioridades em que se gasta e arruinaria a poupança de modo atroz. Pronto, reli o que escrevi. Chavões de economia numa pessoa que odeia gráficos e cálculos. Dêem-me o país que eu equilibro as contas duma vez.
tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 11:16
link do post | comentar | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.