A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Segunda-feira, 5 de Setembro de 2011

E uns valentes pares de estalos? Esse hino mediterrânico à educação clássica

A mais grave crise neste momento nem é bem a económica, tem a ver sobretudo com a proliferação de uma subcultura muito jovem e eticamente raquítica com um problema de identificação de alguns valores morais. Creio mesmo que em muitos bons lares portugueses pululam criancinhas aparentemente inocentes e angelicais e que, quando em grupo, praticam cada crime que poria o vintage carteirista, essa figura obscuramente mítica, a corar de vergonha. Dois exemplos. Dois miúdos de uns 10/11 anos, entenda-se fedelhos, roubaram por esticão uma senhora com idade para ser avó deles bem num centro urbano. Puxaram e correram, diziam as testemunhas, pois eu não vi, mas o nervoso e o choro da senhora roubada convenciam qualquer pessoa. Nunca mais ninguém os viu. Segundo exemplo, os 5 caixotes do lixo da minha rua, esses pobres contentores que, de há 2 meses a esta parte (quando as aulas terminaram, não?), são consecutivamente incendiados. Duas vezes aconteceu isto, duas vezes foram repostos. Moradores a ligar por socorro, bombeiros a apagar, polícia a tomar conta da ocorrência e miliantes, nem vê-los. Ontem foi a terceira. À noite, um clarão ilumina o céu, um cheiro nauseabundo invade o ar e mais dois caixotes à vida. Moradores a ligar por socorro, bombeiros a apagar, polícia a tomar conta da ocorrência... Toda a gente avista um bando de imberbes a rondar os caixotes minutos antes, mas depois ninguém vê nada! E a Junta de Freguesia que os reponha! Isto são recursos deitados fora! Eu acho que, neste momento, há realmente um grave problema com uma geração muito alienada da sociedade em que se insere. Uma espécie de sociopatia por contágio. Faz-me lembrar "O Senhor das Moscas", mas com adultos à mistura, o que ainda torna a coisa mais grave, pois parece que há no ar a ideia de que se a dívida pública diminuir Portugal fica no paraíso e o restante estado social do país se resolve por si só. Se calhar sou só eu que considero que Londres é já ali e as nossas criancinhas para terem pais que as alimentem, vão deixando de ter quem as eduque. É que não há tempo para tudo, mesmo em alturas de crise económica.

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 18:04
link do post | comentar | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.