A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Oh não! Outro post sobre a CPC!

Uma pessoa sabe duma certa exposição ali para os lados da costa do sol. Uma pessoa sabe de muitas exposições neste país e no mundo porque gosta e porque são ossos do seu ofício. E pronto. Não se pronuncia porque não considera o caso por aí além. Afinal é uma exposição de fotografia. Mais uma. Mas não. Dias e dias a fio a deparar-se com notícias, mais opiniões, mais afirmações (algumas parvas como tudo), tomadas de posição, piadas no contra-informação e, pronto, não me controlo.

 

Era para comentar no blog com o post mais equilibrado que li (e eu li outros bem dementes), mas como tenho as ideias a precisar de espaço faço-o aqui.

 

Primeiro que tudo, o Centro Cultural de Cascais mostrou duas coisas.1- uma óptima estratégia de marketting pq o sexo, vá-se lá a saber porquê, sempre suscita alguma polémica (?) e, 2, um risco muito grande de exposição pelas razões erradas (cm se vê, com a maior parte da crítica da área da "cultura", ao lado, a questionar as opções expositivas e programa cultural desse município). Quanto à CPC assumiu a subjectividade do trabalho a que se propôs e expôs-se, sabendo perfeitamente qual seria o impacto do projecto, na nossa sociedade portuguesa que, no fundo, é constituída por meia dúzia de pessoas que constituem a elite intelectual "pescadinha de rabo na boca" que Portugal cultiva. O resto da sociedade ainda nunca entrou num centro cultural, nem sabe para o que serve. Não é nada de mais, pode esteticamente ser questionável, mas a subjectividade da ideia inicial e do resultado final nunca seriam consensuais. Não creio que se trate de uma atitude corajosa porque à CPC não lhe advém nenhum mal maior (não vai ficar sem fonte de rendimento, não vive numa aldeia, ninguém a vai ostracizar), creio, acima de tudo ser uma afirmação válida sobre o direito da mulher ao uso do seu corpo e da sua sexualidade, no fundo ao poder libertador que advém da possibilidade de escolher. Evidentemente acaba por ser uma atitude precursora somente pela exposição que a própria CPC já sobre si tem projectada (existem trabalhos de fotografia tão mais explicítos, como tecnicamente com melhor qualidade).

 A mais valia que tem realmente é reafirmar que a mulher também tem orgasmos e gosta de os ter; não morre por causa disso e, como são dela, ela faz deles o uso que quiser. Isto para uma sociedade profundamente idiossincrática onde, em mundos domésticos, familiares e religiosos bem perto de nós, ainda se remetem ao sexo catástrofes, quase xamânicas, individuais e colectivas tem um valor social muito importante. E, neste aspecto, reside o interesse duma entidade pública ter acolhido esta exposição: cumpre um serviço público, actua como agente social activo na esfera cultural e desconstrói mitos rurais no mundo urbano onde está implantado.

publicado por amulherdetrintaanos às 22:40
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Maldonado a 16 de Janeiro de 2010 às 00:40
Antes de mais, obrigado pela parte que me toca.

1. No meu post limitei-me apenas duma forma sucintamente assertiva a questionar os detractores da exposição de CPC.
A maioria d@s blogueir@s criticou por simpatia, fazendo-me lembrar até certo ponto a polémica de Saramago, onde toda a gente botou faladura, mas ninguém se deu ao trabalho de ler e analisar a obra... :)

2. Acertaste na mouche com este post, pois, ao fim e ao cabo, os maiores beneficiados dessa história são a própria CPC, que assim volta à ribalta, e o Centro Cultural de Cascais, que com certeza ganhou mais visitantes...
De amulherdetrintaanos a 19 de Janeiro de 2010 às 22:04
E o catálogo?! Ainda chega a best seller!

Comentar post

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.