A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Sexta-feira, 13 de Junho de 2014

Coisas que só são triviais até se ser mãe

image001.jpg

Logo à noite vou à feira do livro (sem correr atrás de uma bebé desalmada numa maratona desenfreada, cima-abaixo, no parque Eduardo VII) e vou aos santos (expressão tão estranha) preocupando-me apenas a dar de comer a mim própria, a pôr-me só a mim a fazer chichi e outras coisas triviais assim. Sem bebé. Eu confesso. Sou uma mãe que sofre de saudades por antecipação, pela hora do apartamento (de apartar) e pela conjectura hipotética da ausência. Sem bebé?! WTF?! OMG!

publicado por amulherdetrintaanos às 15:31
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quarta-feira, 11 de Junho de 2014

Um poema de um tempo, em parte, desaparecido que eu costumo lengalalengar à noite à minha criança

Para além da Trafaria

 

Minha mãe, haverá mundo
para além da Trafaria?

Não sei, meu filho. Não sei.
Tudo aquilo que sabia
já no meu sangue te dei.

Que serras são estas, mãe,
que não nos deixam ver nada?

São rugas que a Terra tem.
Não maces a tua mãe.
Deixa-me estar descansada.

Ó mãe, que rio é aquele?
Onde nasce e onde morre?
Ó filho, é Deus que o impele.
Entretém-te a olhar para ele.
É um rio. Tem água. Corre.

Quando eu for crescido, mãe,
quero saber e entender.

Ó filho, o supremo bem
é cada qual, com o que tem,
resignar-se e agradecer.
Deus faz tudo pelo melhor.
Não se engana nem se esquece.
De todo o mal, o maior,
seria sempre pior
se Deus assim o quisesse.
Ninguém foge ao seu destino.
Está tudo determinado.
Não penses com desatino.
Dorme, dorme, meu menino,
Um soninho descansado.

 

António Gedeão, in Poemas da Gaveta: Poesias Completas- 1956-67

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 14:57
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Cinquenta dias... e não tem nada a ver com o básico livro daquela canadiana

Queria eu dizer, cinquenta dias sem fumar.

O meu update versa apenas no seguinte: a mentalização psicológica é poderosa; quem diz que não faz confusão nenhuma deixar de fumar após anos e anos ou é uma excepção digna de registo nos anais da psiquiatria ou então é presunçoso; a parte social e a do hábito influem muito, mais de 75%, digo eu; é necessário redefinir padrões mentais na socialização que, individualmente, estão alicerçados no acto de acender e fumar um cigarro em estruturas de rotinas e práticas, analogias agora órfãs. Voltando ao início, a mentalização psicológica é poderosa e constatei isso antes de ontem quando saí à noite com uma amiga e, não fumando um cigarro, consegui não gastar mais de 15%, das 3 horas e pouco em que estivemos juntas, a pensar nisso.
publicado por amulherdetrintaanos às 10:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Junho de 2014

A minha singela lista para a Feira do Livro de Lisboa

image001.jpg

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 12:41
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Junho de 2014

Um blog não é um diário

Quando se consomem muitas notícias, se fala sobre as notícias, discutem-se notícias, fico sem paciência para dissecar notícias aqui. Este blog não se substitui a uma boa discussão política. Aqui não me apetece fazê-lo. Depois, sem muito tempo útil de lazer, consumo muitos blogs. Gosto de os ler. Verdade. Isso também retira móbil para postar. Nunca tive vocação para os diários na pura acepção etimológica do termo. Nunca escrevi todos os dias neles o que comia, com quem falava, o que via. Fazia-o uma e outra vez, parava, quando voltava havia passado muito tempo. Daí os meus diários infanto-juvenis se parecerem com pequenos ensaios individuais sem intersecção temporal entre eles e nenhuma linearidade cronológica. Restam-me para aqui os desabafos, pensamentos soltos (muito blasés quiçá), uns laivos de registo observante, pouca comida, alguns livros, selfies com filtro... Daí esta intermitência a que tem estado votado este diário que não o é. Começo a considerar o meu blog como o contra-senso do que se apregoa como a principal característica identitária de um blog: uma linha editorial. Um tema. Espero que esta desarrumação conceptual tão grave não afaste ninguém, mas não consigo prometer rubricas e organização. Mesmo assim, a emissão seguirá dentro de momentos...
publicado por amulherdetrintaanos às 16:48
link do post | comentar | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.