A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Terça-feira, 25 de Setembro de 2012

Cá por casa brinca-se assim

Tapa-se a cara com os pezinhos do bebé e apruma-se a voz:

Cucu!!!
Onde está mamã?
Cucu! [destapa cara] Aqui!!!

[risadinhas]

Cucu!!!
Onde está pápá?
Cucu! [destapa cara] Ali!!!

[mais risadas]

Cucu!!!
Quem vem lá?
Cucu! [descobre-se a cara com careta] É um clone da TSU!!!
[dobra a risada e pede mais!]
publicado por amulherdetrintaanos às 12:53
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 22 de Setembro de 2012

Primeiro dia de outono

Antes as tardes fresquinhas às desidratações possíveis dos 38 graus à sombra.

 

 

 

 

 Leitinho para uns.

 

Comida assim, proteíca, para outros.

 

 

Ou nem por isso.

 

 

:)

publicado por amulherdetrintaanos às 21:18
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 20 de Setembro de 2012

Que tótós

Por favor, parem. Esta pseudo-coligação agora já só me faz rir.

publicado por amulherdetrintaanos às 21:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 19 de Setembro de 2012

Não posso deixar de referir isto

A coerência da Maria Teresa Horta enquanto pessoa cidadã.
publicado por amulherdetrintaanos às 15:03
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 18 de Setembro de 2012

Truz, truz

Está fechado a comentários escusados e moderado.
Aqui só entra quem quero. Sarcasmo, deselegância e teoria da conspiração nunca foram convidados.
publicado por amulherdetrintaanos às 12:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 16 de Setembro de 2012

E ONTEM FOI ASSIM

 

 

Carro, mãos, criança e bandeira: somos nós

 

 

 

 

 

 

Rica filha de seus pais que agarrou a bandeira preta e nunca mais a largou

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por amulherdetrintaanos às 13:33
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quinta-feira, 13 de Setembro de 2012

Matam o país e nós andamos a pensar o que é que se pode fazer

Só me apraz dizer isto: o caminho não é caminho porque não vai dar a lado nenhum. Ou melhor, vai dar a um buraco ainda maior. A economia não nasceu sozinha, não vive sozinha e influencia, e é contagiada, pelo mundo em redor. Nunca como hoje se voltou o discurso tão à esquerda por pessoal de direita que eu jamais imaginaria a usar, desta maneira, conceitos como capital, divisão de lucros e afins. Os patrões apoiando os sindicatos e outras utopias sociais assim. Nunca como hoje, em 38 anos, se experimentou matar de fome portugueses com uma linha, torta, de pseudo ideologia liberal tão de direita, tão de pacotilha, tão de gabinete. Tão trafulha, tão incompetente.

 

Que isto fique claro, nem é por mim que falo, mas também. As pessoas têm direito ao trabalho. É um valor. V-a-l-o-r. As pessoas têm direito a ter dignidade. Na infância, na idade activa e na velhice. As pessoas têm direito, d-i-r-e-i-t-o, a aceder à saúde, à educação, à cultura. A qualidade de vida não é um luxo.

 

Isto vai descambar num país desgraçado. De mortos de fome e de turbas populares. Num país de velhos doentes e sem crianças. Num país sem segurança social e sem produção. Num país que não consome porque não pode. Num país que não há-de interessar a ninguém, nem aos brasileiros que tentam atrair à maluca.

 

O ordenado minímo é paradigma de toda a merda defecada por este governo, autista, que vai além- da troika- e que vai além das pessoas, triturando-as.

 

Como?! Como é que alguém trabalha 8 horas diárias e pode ganhar 397 euros?!

 

Como é que vão tirar dinheiro às pessoas para o entregar às empresas? A segurança social é um regime contributivo com contrapartida. Isto é um roubo, descarado. Outro.

 

Como é que ficamos assim? A resmungar. O que é que se pode fazer?

publicado por amulherdetrintaanos às 20:34
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Segunda-feira, 10 de Setembro de 2012

Pais vitaminados para trabalhos redobrados

Constato a minha resiliência física ao modo pós verão/férias e ao facto de chegar a domingo à noite tão cansada como na sexta-feira. Iupi!

Deviam inventar uns suplementos vitamínicos para pais recentes.

O cansaço não deriva tanto do tempo partilhado com a nossa pequena pimpolha ramboieira. Responsabilizo os afazeres de contexto, perda de tempo e extremamente necessários ao mesmo tempo, e que, nem a quatro mãos, lá vão.

Eu não sou pessoa doméstica. Nunca fui, nem nunca quis ser, dificilmente serei. Por outro lado, sou muito organizadinha e limpinha. Sonhava ter uma empregada doméstica que nos libertava do supérfluo, deixando a casa cheirosa logo à sexta-feira, mas constatei também na passada sexta-feira que, como quem manda na minha casa é o governo, enquanto trabalharmos não havemos de ter dinheiro para essa mega contratação. Nem para muito, pensando bem.

Ora, casa que não cheira bem, para mim, está a um passinho de cheirar mal. O homem de trinta anos também é assim, mas mais picuinhas. O longo estágio matrimonial acordou, algumas vezes tacitamente, outras por rotina, outras ainda à base do grito, que, das duas pessoas, aquela que cozinha muito, não limpa muito, aquela que limpa muito, não cozinha muito.

E chegaram as sopas. De peixinho e de carninha, com muito vegetal para bebé crescer saudável, coisa mais linda, que as engole como ninguém!

Ora as sopas são metáfora do desarranjo doméstico, a que se acresce a limpeza de cocós, a lavagem e estendal de adereços liliputinianos, limpeza de quarto de bebé, muito biberão, transporte de carrinho com cadeirinha acoplada: põe no carro, tira do carro, quiçá sobe até ao 4º andar e depois tem de descer, saídas de casa com malões a tiracolo, idas à praia com resultados próximos do esgotamento físico e cerebral, e outras coisas quotidianas muito graciosas, mas cansativas.

De modo que ontem, nessa bela noite de domingo, cálida e estival, por volta da meia-noite eu estava a estender roupa e o homem de trinta anos a arrumar a cozinha. Depois, eu fui acomodar farpelas minúsculas numa gaveta estreita quase às escuras e ele foi fazer biberão, dar biberão, lavar biberão. Cruzámo-nos na parte romântica do arroto. Deitámo-nos ao mesmo tempo e nunca mais o vi. Apaguei.

Como somos muito democráticos devemos ter apagado ao mesmo tempo. Lá para as 4 da manhã houve choradeira, fiz-me de surda e ouvi-o levantar-se.

Como somos muito democráticos, se hoje houver choradeira, já sei que será ele a fazer-se de surdo e eu a levantar-me.

Assim, voltando às vitaminas para pais recentes. Onde é que elas estão?

publicado por amulherdetrintaanos às 17:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 8 de Setembro de 2012

Onde é que mora a avó Min?

A avó Min mora na praia!!!

 

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 14:08
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Setembro de 2012

Contributo qualitativo para avaliação das oscilações de audiências das telenovelas de horário nobre

Troquei a telenovela pela leitura.

Assim, como assim, o tempo noveleiro é tão lento que permite duas visualizações por mês para se voltar a apanhar a historieta. Por isso, vós que escreveis argumentos de quilómetros para a produção nacional de novelas, tentai fidelizar espectadores e ide para além da infanto-juvenil dicotomia noveleira dos personagens bonzinhos vs sociopatas e contemplai os bonecos das vossas histórias com alguma consistência psicológica.

Apesar de bom para o cérebro (que assim descansa, passivo e dormente), a mim irrita-me o tempo dispendido (como às vezes na internet em que uma pessoa começa por procurar informação muito premente e acaba em coisas estúpidas como procurar actores há muito desaparecidos- isto por acaso até me é muito interessante, mas entretanto passaram duas horas).

Recorri à biblioteca porque o actual pacote quinzenal de fraldas (mais outros baby devises) é o meu antigo livro do mês.

Estou a acabar a Anatomia dos Mártires e com este livro, apesar de toda a envolvência que o rapaz sabe dar às suas histórias, começo a ficar com a sensação que à estrutura dos seus romances falta alguma coisa mais consistente. Este despertou-me para isso, talvez porque falar em conceitos que eu passo profissionalmente a vida a esmiuçar me deturpa a visão ficcional da leitura, talvez porque, apesar de tecnicamente, o emaranhado da narrativa seguir como qualquer romance deve seguir, com clímax pelo meio e tudo, é-me óbvio o enigma anunciado na contracapa.

Olha, falo tanto em consistência que, se calhar,
vou é experimentar fazer um bolo hoje: com boa textura e boa consistência.
publicado por amulherdetrintaanos às 09:55
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 5 de Setembro de 2012

Eu sabia, eu sabia, eu sabia, eu sabia!

Basta duas vezes seguidas, duas vezes, e uma pessoa nunca mais se desliga daquilo.

 

Ali especada.

 

A pastelar e se aquilo tem um ritmo lento!

 

Primeiro que aconteça alguma coisa são precisos mais de 3 dias.

 

E os anúncios, senhores, os anúncios demoram!

 

E agora?

 

Agora passo o inverno assim e é bem feita.

 

Eu tinha jurado a mim mesma por volta do ano de 1993: “Acabou-se, nunca mais, tu não tens vida para isto!” E havia cumprido.

 

E agora prevariquei e pronto, acabou-se.

 

Mais de uma década depois aqui estou eu a esperar que acabe o telejornal para ver o Dancin´days!

publicado por amulherdetrintaanos às 18:37
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Domingo, 2 de Setembro de 2012

Leitura de fim de semana

Com muita entoação. O segredo está na entoação:)

 

 

 

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 14:02
link do post | comentar | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.