A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Sexta-feira, 30 de Setembro de 2011

Lovely Autumn

image001.jpg

image004.jpg

 A bicicleta foi um excelente predicado da minha Primavera... E com o Outono vem sempre a inevitabilidade de mais idade... 

 

 A partir deste fim-de-semana, este blog dever-se-ia passar a chamar "a mulher de trinta anos... e meio... mas com muito bom aspecto."

publicado por amulherdetrintaanos às 12:37
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 27 de Setembro de 2011

A minha barriga é a mais gira de todas #2

Para as trinta e tal pessoas que durante o dia quando se cruzam comigo me dizem - Ah e tal e agora é que ´tás gira, ´tás a ver mais uns quilinhos e que jeitosa ficas?! Bem, já devias ter engordado há mais tempo! Fica o esclarecimento: são parvas ou quê?! Não pensam antes de falar? Sofrem todas de Tourette? Só a barriga cresceu almas! Como é que alguém sem estar num estado "interessante" fica bem só com mais 5 quilos de pança?! Alguém me explica?

publicado por amulherdetrintaanos às 14:49
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Setembro de 2011

A ver navios

image001.jpg

 Assim se fica quando todas as sessões teatrais baratas esgotam um dia antes. Nem cinema, nem teatro, nem spa. Dormir, basicamente. E jantar de amigos, vá lá. Ah, mais bolo de chocolate gigante.

publicado por amulherdetrintaanos às 14:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Setembro de 2011

Ah e como estou tão contente de ter sido destacada (salvo seja)

 

Partilho com o mundo esta perolazinha nacional.

 

Não é todos os dias que se descobre um super herói português.

 

O filme promocional (15 minutos) passou no MotelX e agora já há grupo de pressão no facebook para alguma televisão pegar no projecto.

 

Vejam lá (se ainda não viram).

 

 

publicado por amulherdetrintaanos às 21:07
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Alguém tem sugestões?

Entre este

 

É COMO DIZ O OUTRO

 

Ou este

 

 

Pois, depende do espírito. Estou para os dois. Não estivéssemos em contenção até ia ver os dois. Um deles à matiné de domingo que tem sempre um encanto demodé, mas não. Só pode ser um.

 Alguém viu algum?

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 20:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

As coisas que passam a objectos e os objectos que passam a símbolos e os símbolos usados nos totens e os totens que passam a peças e blá blá blá

image001.jpg

Descobri um amuleto e, por isso mesmo, passou mesmo à categoria de amuleto. Deram-me uma folhinha destas em Dezembro com a indicação de guardar, tipo ramo de espiga, pois traria bons ventos e fortuna durante o ano. E eu guardei. [cid:image001.jpg@01CC79EC.80465F00] Ontem, quando arrumava a carteira, piquei-me. Era a folha. Sou crente.

publicado por amulherdetrintaanos às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 18 de Setembro de 2011

Da gulodice

A vantagem de se morar na periferia é demorar 10m para chegar aos pastéis!

publicado por amulherdetrintaanos às 19:39
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

O início de uma manta

Eu tenho firmemente a quase certeza que os inícios são do mais difícil. Até a fotografia para não me esquecer da sequência foi atrapalhada por um telemóvel hiper sensível.

 

Ainda é um monte de retalhos (precisamente 72) e, em falta, 5 quadrados. Faltou o tecido e as alternativas são garridas demais. Irei em busca de quadrados verdes na segunda feira.

 

Portanto, eu não costuro. Não tenho máquina. No fundo (e aqui reside a ironia) tenho a grande ambição de activar a minha parte de costureira, latente há anos. Falta-me a máquina, falta-me uma workshop de jeito, faltam as duas coisas em simultâneo.

 

Ora, comprar o tecido, fazer o molde (isto parece muito aleatório na imagem, mas estão ali horas de criatividade na junção dos padrões para, no fim, parecer propositamente displicente) cortar o tecido, acertar os 70 e tal quadrados à medida (mais ou menos que a tesoura encravou entretanto).

 

E já está. A parte da frente. A de trás já existe e já está cortada. A do meio saiu barata graças às quinhentas forras de edredon oferecidas pela La redoute.

 

Agora, o engraçado. Eu comecei a cortar tecido furiosamente porque achei uma ideia muito engraçada, um bom projecto de lazer, fazer uma manta de retalhos que pudesse servir de apelo à imaginação d@ meu futur@ infante na hora de dormir (não se consegue ver mas há uns quadrados de vacas a pastar ali pelo meio e uns ursos a comer e outras piroseiras assim). Nunca pensei que saísse muito caro. Mas sai. Ainda tive sorte porque uma costureira amiga me vai coser à máquina os quadrados alinhavados por mim (eu nem quero imaginar quanto levaria a senhora da loja de arranjos da minha rua) e, finalmente, coser as três partes, senão havia o projecto de descedência ter 20 anos e ainda andaria eu com a colcha atrás.

 

Para ilustração desta epopeia. A colcha!

 

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 11:50
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 11 de Setembro de 2011

Fotonovela

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por amulherdetrintaanos às 17:56
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quinta-feira, 8 de Setembro de 2011

livro da semana

Com narrativa nos anos de 1960 nos E.U.A. trata de uma família separada pela ideologia política- avó de elite e filha hippie extremista. Sobra o neto da primeira criado por ela enquanto a mãe anda pela clandestinidade a fabricar bombas até ao dia em que "alegadamente" a progenitora rapta o infante de oito anos e embarcam numa fuga que vai parar à Austrália. O interesse do livro é a sua arrumação alternada entre a história pelos olhos da criança (a quem ninguém conta nada) e à sua intuição que o leva a "uma" interpretação dos acontecimentos e a história pelos olhos do narrador que deixa perceber uma outra intuição, a dos adultos, e de como as escolhas destes são tão ou mais insólitas e ilógicas do que as da criança. Muito bom para nos relembrarmos de como pensávamos quando não tínhamos a experiência de hoje, o vocabulário de hoje, o cérebro formatado de hoje. A empatia com a lógica do miúdo é o mais fascinante de quem lê. Muito bom mesmo.

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 23:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 7 de Setembro de 2011

A minha barriga é a mais gira de todas #1

O que já não tem tanta piada é a dificuldade crescente para chegar às 10 unhas dos meus dois pés. Tentar várias aproximações. Muitos ângulos de braço e antebraço diferentes. Conseguir finalmente. E após vários cliques, cliques, cliques... quando me olho ao espelho estar parecida com as pessoas do peso pesado depois de terem estado um dia inteiro a ginasticar.
publicado por amulherdetrintaanos às 11:33
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Segunda-feira, 5 de Setembro de 2011

E uns valentes pares de estalos? Esse hino mediterrânico à educação clássica

A mais grave crise neste momento nem é bem a económica, tem a ver sobretudo com a proliferação de uma subcultura muito jovem e eticamente raquítica com um problema de identificação de alguns valores morais. Creio mesmo que em muitos bons lares portugueses pululam criancinhas aparentemente inocentes e angelicais e que, quando em grupo, praticam cada crime que poria o vintage carteirista, essa figura obscuramente mítica, a corar de vergonha. Dois exemplos. Dois miúdos de uns 10/11 anos, entenda-se fedelhos, roubaram por esticão uma senhora com idade para ser avó deles bem num centro urbano. Puxaram e correram, diziam as testemunhas, pois eu não vi, mas o nervoso e o choro da senhora roubada convenciam qualquer pessoa. Nunca mais ninguém os viu. Segundo exemplo, os 5 caixotes do lixo da minha rua, esses pobres contentores que, de há 2 meses a esta parte (quando as aulas terminaram, não?), são consecutivamente incendiados. Duas vezes aconteceu isto, duas vezes foram repostos. Moradores a ligar por socorro, bombeiros a apagar, polícia a tomar conta da ocorrência e miliantes, nem vê-los. Ontem foi a terceira. À noite, um clarão ilumina o céu, um cheiro nauseabundo invade o ar e mais dois caixotes à vida. Moradores a ligar por socorro, bombeiros a apagar, polícia a tomar conta da ocorrência... Toda a gente avista um bando de imberbes a rondar os caixotes minutos antes, mas depois ninguém vê nada! E a Junta de Freguesia que os reponha! Isto são recursos deitados fora! Eu acho que, neste momento, há realmente um grave problema com uma geração muito alienada da sociedade em que se insere. Uma espécie de sociopatia por contágio. Faz-me lembrar "O Senhor das Moscas", mas com adultos à mistura, o que ainda torna a coisa mais grave, pois parece que há no ar a ideia de que se a dívida pública diminuir Portugal fica no paraíso e o restante estado social do país se resolve por si só. Se calhar sou só eu que considero que Londres é já ali e as nossas criancinhas para terem pais que as alimentem, vão deixando de ter quem as eduque. É que não há tempo para tudo, mesmo em alturas de crise económica.

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 18:04
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 3 de Setembro de 2011

Das quatro estações com a sensação de que este ano só teve três

Cheira a outono, eu estou branca que nem uma alforreca e o sol continua por cima das nuvens, escondido. Quando é que chega o verão?

tags:
publicado por amulherdetrintaanos às 10:42
link do post | comentar | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.