A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Dias caleidoscopianos ou em espiral

Por vezes tenho a ligeira impressão que a sorte ou o azar são fenómenos aleatórios no nosso quotidiano, tal como ser premiada como a cliente 1 milhão dos supermercados ou acertar nos números do euromilhões, coisas que nunca me sucederam, com certeza só por mero acaso e, no caso do aeriomilhões, porque não jogo. Noutras alturas acho precisamente o contrário: devem existir forças conspirantes a pairar, alternadamente, sob a nossa tola ou uma nuvem kármica, a atirar para o escuro, sob o tecto do meu lar em particular (para além da mancha de humidade, herança do algeroz entupido) porque a junção de tanto azar sob duas pessoas, e em tempo reduzido, é quase anedótica.
 A ver, eu até considero provável aquela história apologista da energia boazinha por oposição à energia mázona. Qual Dr. Phil (sem bigode e mais melena) eu acredito que a mentalização positiva afasta coisas negativas e, mesmo que não afaste, sempre nos coloca mais bem dispostos e dá-nos aquela sensação confortável e reconfortante, partilhada em necessidade desesperada com o resto da humanidade, da esperança, da fé em coisas boas e blábláblá.
 
Tolice absoluta. Quando acontece uma coisa negativa o pessoal entra é numa espiral kármica de desgraceira absoluta. Até mete dó. Uma pessoa até fica com medo de sair à rua tal é o descambar de uma situação estranha para uma sucessão de acontecimentos insólitos.
 
Isto começou há uns dias com o meu gato doente e umas idas, milionárias, ao veterinário. De permeio situações mais ou menos insólitas, mas nada de grave. E pronto. Uma pessoa pensa assim: “Caramba pá, que azar, a ver se isto pára aqui!” Mas não. Chega-se, um belo dia, a casa à hora do almoço. Mete-se a chave à porta e o que acontece? Entramos em casa e almoçamos? Não. Parte-se a chave na fechadura! Super normal. Deve ser uma coisa que se farta de acontecer. Cinco horas depois e um homem desesperado, que já antevia alucinadamente nunca mais entrarmos em casa, mais um serralheiro e uma porta trancada, uma chave falsa, limada vezes sem conta, mais uma fechadura desmontada e, três horas (!!!) depois lá se consegue entrar em casa. Entrámos, mas a porta não fechava. O serralheiro permanece no hall e desmonta tudo, mais uma vez, volta a aparafusar porta, fechadura e tal e... a porta fecha, mas agora não abre. Eram 17 horas! Cinco da tarde de um domingo perdido, a ver o desinteressante traseiro empinado do serralheiro agachado no meio da minha entrada, quando o homem se foi e a porta fechou e abriu como era sua função desde o início! Nem vou referir valores para não chorar...
 Lá consegui salvar este domingo e, à noite, fui ver o “Haverá Sangue” que não seria um excelente filme se não estivesse lá o Daniel, mas vale bem a pena as quase três horas de duração. Claro que a maré de pouca sorte ainda não tinha totalmente passado e vi-me obrigada a encetar nova deslocação cinéfila à capital do país. COMEÇO A PASSAR-ME COM ESTA POLÍTICA SUBURBANA DE DISTRIBUIÇÃO DE FILMES DA LUSOMUNDO!!! Hello, senhores da Distribuidora em questão, na periferia não vivem só grunhos e analfabetos e qual é a ideia de continuar com uma porcaria de filme chamado o “Rei das bolas” (ou alguma coisa deste género) há quase mês e meio em cartaz a tirar lugar aos novos filmes???!!! Ah? Parvalhões!

 

 
Hoje não me aconteceu nada, mas ainda estou condicionada com tantos acontecimentos estrambólicos. Vou ler o meu horóscopo só para confirmar se a confluência negativa já passou, pelo sim, pelo não. Uma pessoa devia ser previamente preparada para estas coisas.
sinto-me: quase aliviada
publicado por amulherdetrintaanos às 14:59
link do post | comentar | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.