A mulher de 30 anos não era nascida no 25 de Abril de 74; não ouviu radionovelas e não vibrou com o Festival da Canção. A mulher de 30 anos tropeçou em dois séculos e está aqui! Também opina, ainda não é anciã e agora é mãe

.posts recentes

. Bom dia

. Autoretrato #1

. Adeus fim de semana

. Adeus domingo #2

. Finalmente, toda uma cole...

.Instagram

Instagram

.mais sobre mim

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.

.Posts mais comentados

21 comentários
16 comentários
14 comentários

.Setembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
16
17
18
19
20
21
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.favorito

. O que é a amizade depois ...

. Nasceu o meu filho

. Da epifania televisiva de...

. Hoje constatei que é dia ...

. Leva-me pró contenente!!!

. Discurso directo I e II (...

. Os dias em que todos nós ...

. voltei, voltei...

. L`air du temps

.links

.subscrever feeds

.arquivos

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.últ. comentários

Boa noite,Como a entendo.Uma coisa é fazer o "que ...
É tão giro encontrarmos desenhos antigos, retratam...
Compreendo perfeitamente! É tão difícil deixá-los ...
Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

Introspecção e falta de energia...

Isto de se ter trinta anos e começar a pensar na vida não aconteceu assim do dia para a noite, ah pois não.

 

Este mergulho existencialista sempre existiu, mas tão virado para dentro foi para aí por volta dos 28, 29 mais ou menos.

 

Antes, a vida era uma alegre euforia de várias coisas para fazer. Para já discutia-se o virar do milénio e vozes mais apocalipticas bradavam que o mundo era desta que acabava. Isto do mundo acabar também depende muito do contexto: para os informáticos era aquele vírus marado que bloquearia os computadores pois as combinações binárias entrariam em parafuso pós 1999; para os fanáticos de múltiplas religiões estava escrito, nas entrelinhas de diversas obras de referência, que o planeta não passava para além de 2000; umas videntes até vieram à televisão partilhar com o país as suas razões... e eu também sempre acreditei na explicação que o meu pai me deu, para aí quando eu tinha 10 anos e lhe perguntei se o mundo algum dia acabava e que foi a brilhante e pragmática: "o mundo acaba todos os dias para as pessoas que morrem."

E pronto, uma pessoa era mais jovem e ´bora lá viver bem e rapidamente que isto de virar um século nunca me aconteceu antes e nunca se sabe...

 

E era a faculdade, a vida social tão hiper activa, os múltiplos e criativos hobbies, a luta socialmente empenhada por um mundo melhor e sem McDonalds, muita manif, muita noitada e ainda um part-time que dava um grande jeitinho para ter um dinheiro extra e me sentir muito independente.

 

Uma pessoa vê os trinta a aproximarem-se, com a faculdade acabadinha e mais uns extras académicos de parte, esfalfa-se para arranjar um emprego, mas daqueles que têm a ver com a área de formação (já agora!) em que se investiu (aos 30) mais de metade da vida e depois fica cansada...

 

Epá, é mais sem gás... tipo balão... um dia acorda-se e pertence-se ao sistema (I faught the law and the law won). E trabalha-se e compra-se uma casita (pequenina e em 3ª mão que isto aos 30 não dá para mais) e fica-se um bocado para a disquete formatada.

 

E penso eu, como nunca antes tinha tempo tempo para pensar: "Era isto que eu queria?"

 

Sinceramente não sei... Vou continuar a pensar aqui alto, pode ser que chegue a alguma ideia mais conclusiva.

 

 

sinto-me: introspectiva
publicado por amulherdetrintaanos às 00:04
link do post | comentar | favorito
|

.Pinterest

Visite o perfil de Ana no Pinterest.